• |
  • Seja bem vindo ao meu site

Cadastre-se

Cadastrando
Cadastrado com sucesso

Porque me cadastrar?

Cadastrando-se voce poderá interagir com o site, deixando seus comentários sobre os videos do Dr. Daniel Parente.

Para criar uma conta, basta preencher o formulario de "Primeiro acesso", lembrando que o endereço de e-mail fornecido deve ser válido.

Já sou cadastrado

Aguarde por favor.

Primeiro acesso? Cadastre-se aqui.

Cadastrando
Cadastrado com sucesso
Fechar

Lentes de Contato

O objetivo das lentes de contato é proporcionar-lhe uma excelente estética facial ao substituir os óculos, fornecer a melhor visão no dia-a-dia, e ainda facilitar a prática de esportes. Elas são pequenos discos de material plástico, usados para corrigir miopia, hipermetropia, astigmatismo, no tratamento do ceratocone (uma moléstia da córnea que causa visão ruim, muitas vezes, não corrigível com óculos) e no caso das lentes bifocais e multifocis, substituir os óculos para perto e possibilitar uma boa visão para longe. As lentes de contato coloridas realçam ou mudam a cor dos olhos. Há lentes com vários tipos de pupila, ideais para se chamar atenção em uma festa.

As lentes cosméticas ou filtrantes são usadas para mascarar um defeito antiestético no olho, tornando-o similar ao outro olho normal. As lentes terapêuticas são usadas como coadjuvante no tratamento de várias doenças da córnea e da superfície do olho e no pós-operatório de cirurgias oculares.

A superfície externa das lentes proporciona conforto e melhoria da visão, enquanto a posterior possibilita que elas fiquem bem posicionadas na córnea e flutuem na camada de lágrimas existente nos olhos. Quando a pessoa pisca as pálpebras movimentam as lentes levemente. Esse movimento faz com que as lágrimas fluam sob as lentes, removendo os resíduos que se acumulam embaixo delas, e forneçam nutrição, lubrificação e oxigênio à córnea.

Lentes

Material de propaganda Solótica - Lentes Hidrocor

Tipos de Lentes de Contato

Dependendo do material de fabricação, as lentes de contato classificam-se em duras, rígidas gás-permeáveis, gelatinosas e gelatinosas descartáveis. Quanto ao tempo de uso permitido, as de uso diário podem permanecer nos olhos de oito até doze horas e precisam ser retiradas para dormir e para desinfecção. As de uso prolongado ou flexível podem ser utilizadas por até 16 horas por dia.


Nenhum tipo de lente é melhor que o outro. Durante a consulta, seu problema visual e a curvatura da córnea serão avaliados e depois de conversar com você sobre seu estilo de vida, a frequência com que você irá usá-las e o tempo que dispõe para cuidar delas, o oftalmologista poderá lhe sugerir o tipo de lente mais adequado às suas características pessoais.

Lentes Duras

As acrílicas foram as primeiras a serem desenvolvidas. São feitas de polimetilmetacrilato, um plástico que impede a transmissão direta do oxigênio para a córnea. Desta forma, a córnea passa a depender somente das lágrimas, que fluem sob a lente, para fornecimento de oxigênio e dos nutrientes necessários. Quando a quantidade de oxigênio se torna insuficiente, ocorrem inchaço da córnea e embaçamento temporário da visão. São usadas atualmente apenas em testes de adaptação de lentes.

As lentes rígidas, no início, são mais desconfortáveis quando comparadas às lentes gelatinosas. No entanto, com a persistência, ela será bem tolerada. Mesmo assim, um certo número de pacientes não conseguirão usá-las. Apesar de menos confortáveis para alguns, são uma boa opção nos casos de astigmatismo, pois dão maior regularidade à córnea, além do custo ser bem inferior ao da lente gelatinosa tórica, uma outra opção para correção do astigmatismo. Proporcionam correção satisfatória da visão para a vasta maioria dos pacientes. São fáceis de limpar e podem ser guardadas secas ou úmidas. Juntamente às gás-permeáveis, são as opções ideais para a correção do ceratocone, para correção óptica em casos de pequenas cicatrizes da córnea, pós-operatório de transplante de córnea e cirurgia refrativa.

Material de propaganda Solótica

Foto: Lente rígida ou Dura

Lentes Rígidas Gás-Permeáveis

As gás permeáveis siliconadas ou fluorcarbonadas são produzidas a partir da combinação de plástico e silicone.

São de consistência semiflexível e menores que a córnea. O oxigênio permeia através dessas lentes chegando diretamente à córnea e não só através das lágrimas que fluem sob elas. Por isso a adaptação às lentes rígidas é fácil, a córnea raramente fica inchada e a visão permanece nítida. São muito confortáveis, porém menos duráveis que as convencionais ou duras.

As lentes rígidas podem ser de uso diário ou de uso prolongado. As siliconadas ou de uso diário permeiam menos oxigênio à córnea do que as de uso prolongado, genericamente chamadas de fluor-carbonadas.

As lentes rígidas são duráveis, de limpeza e manuseio fáceis e possibilitam visão bastante nítida, especialmente nos graus mais altos de astigmatismo. Por outro lado, exigem período de adaptação de 2 a 3 semanas e se deslocam, quebram ou riscam com certa facilidade. As lentes rígidas podem criar clarões em volta das luzes, causar arranhões na córnea e reter poeira e partículas na sua parte posterior.

Lentes Gelatinosas

Podem ser de uso diário ou prolongado. Têm a propriedade de reter grande volume de água, as de uso diário absorvem entre 38 e 55% de água e as de uso prolongado chegam a absorver 80%.

As lentes gelatinosas quase não são percebidas no olho, são de rápida ou imediata adaptação e são mais confortáveis que as rígidas. Quase não causam clarão em volta das luzes, são comercializadas em cores que realçam ou mudam a cor dos olhos e são adequadas à prática de esportes, pois raramente se deslocam. Permitem a passagem de grande quantidade de oxigênio à córnea. São adequadas para a correção da miopia e da hipermetropia, no entanto por serem moles e acompanhar a curvatura da córnea, não corrigem o astigmatismo, cuja córnea é irregular. As lentes gelatinosas especiais ou tóricas permitem a correção nestes casos.

As lentes gelatinosas podem se danificar com maior facilidade. Necessitam de permanente manutenção, pois proteína, muco, protozoários e fungos depositados nas superfícies anterior e posterior da lente podem reduzir sua duração. Principalmente as de uso prolongado apresentam tendência à absorção de fumaça, vapores ou “spray”.

As lentes gelatinosas são de troca mais freqüente do que as rígidas. Podem não resultar em visão totalmente nítida, embora algumas marcas corrijam adequadamente altos graus de astigmatismo.

As instruções para uso e manutenção devem ser cuidadosamente observadas, caso contrário essas lentes poderão produzir infecção e irritação nos olhos, sobretudo, se ao primeiro sinal de problema elas não forem removidas e prescrito o tratamento necessário.

Material de Propaganda Ciba Vision

Material de Propaganda Optolentes Lentes de Contato Ltda.

Material de propaganda Solótica

Fotos: acima, lente gelatinosa convencional; no centro, opções estéticas de lentes gelatinosas recomendadas para mascarar defeitos da córnea, da íris e do cristalino; em baixo, inúmeras opções de desenhos para alterar a forma da pupila e chamar atenção.

Lentes Gelatinosas Descartáveis

Podem ser de uso único (um dia de uso), uso semanal (uso continuo por 7 dias e 6 noites) ou quinzenal (15 dias de uso, retirando-as para dormir) ou uso mensal descontinuo (30 dias de uso, retirando-as para dormir) ou continuo (30 dias e 30 noites).

A reposição freqüente diminui o acúmulo de depósitos, reduzindo os riscos de contaminação, proporcionando a menor possibilidade de infecção corneana entre as lentes de contato. Lente nova, igual a olho são. As lentes de uso único, semanal e mensal continuo não necessitam de limpeza. Para as lentes para uso quinzenal ou mensal descontinuo, a assepsia é simplificada pela utilização de uma solução multiuso.

Para os pacientes que utilizam lentes de contato com freqüência, as lentes descartáveis tornam-se mais caras que as convencionais (maio custo em um ano), no entanto em algumas situações, ex: uso esporádico ou ocasional, a economia a longo prazo pode ser maior, pois, com a substituição programada, elas exigem pouca ou nenhuma manutenção. Em casos de perda ou dano a uma lente, a substituição por outra é muito mais barata quando comparada as convencionais. As lentes quinzenais ou de uso mensal descontinuo são removidas à noite e reutilizadas na manhã seguinte e são, ao final de sua validade, descartadas.

São adequadas para a correção da miopia e da hipermetropia e, no caso das tóricas, corrigem o astigmatismo. Também estão disponíveis para a correção da presbiopia nas variações de bifocal e multifocal. Contudo, não estão disponíveis para todas as prescrições e podem dar a falsa sensação de que as consultas periódicas não são necessárias, porque seu uso e cuidado são bastante fáceis.

Material de Propaganda Johson e Johnson - Lente Acuvue bifocal

Foto: Lente Gelatinosa Descartável bifocal

Mais Sobre Lentes de Contato

Riscos

Como todo corpo estranho em contato com a córnea, as lentes de contato apresentam riscos à córnea e à saúde ocular. Esses serão bem menores se elas forem prescritas, adaptadas e fornecidas por um oftalmologista especializado.
Se a adaptação não for adequada, as lentes são passíveis de causar lesão na córnea, que podem resultar em cicatrizes e ou redução da visão.

A maioria das infecções ocorre devido à limpeza imprópria e/ou negligência no uso. Em casos de má higiene, as lentes de contato podem estimular a formação de proteínas, resultando em desconforto, falta de clareza ou intolerância. Também podem se formar colônias de fungos sobre a superfície das lentes de contato, inutilizando-as. A contaminação da lente por acantameba, um protozoário muito agressivo para a córnea, ocorre pelo mau hábito de lavar as lentes com água de torneira ou uso em piscinas ou para entrar no mar. Uma boa higiene da lente de contato é fundamental para evitar problemas no olho.

Se forem usadas por um período mais longo ou em desacordo com as recomendações recebidas, a córnea pode entrar em sofrimento, causando dor e embaçamento visual temporário.

Procure seu oftalmologista imediatamente em casos de vermelhidão, desconforto, inchaço, dor, sensação de arranhão e secreção no olho ou quando não conseguir remover a lente que acidentalmente se escondeu sob as pálpebras.

As diversas marcas de lentes geralmente tem seus produtos próprios para limpeza e desinfecção. A inobservância das instruções contidas nas embalagens desses produtos pode reduzir a durabilidade das lentes e causar infecções.

Arquivo pessoal

Conjuntivite alérgica: papilas e folículos em usuário de lente de contato gelatinosa.

Arquivo pessoal

Úlcera de córnea em usuário de lente de contato gelatinosa.

Material de propaganda Alcon

Ceratoconjuntivite límbica superior. Reação adversa ao preservativo da solução ou às lentes de contato.

Arquivo pessoal

Lesão pseudo-dendrítica, simula herpes. Reação adversa ao preservativo da solução para lentes de contato.

Adaptação de Lentes de Contato

A adaptação de lentes de contato é um ato médico, constituindo-se numa forma de parceria entre você e o oftalmologista, em benefício da sua visão. Essa parceria envolve uma consulta completa, orientação quanto ao tipo de lentes que lhe é mais adequado, teste de adaptação, fornecimento de lentes de qualidade e atendimento em caso de emergência.

A participação do contactólogo ou técnico em lentes de contato é fundamental para o treinamento, adaptação e manutenção dessa lente, cujo entrosamento com o médico oftalmologista é imprescindível.

Geralmente, o teste de adaptação de lentes consiste de:

- Medição da curvatura da córnea (ceratometria).

- Ocasionalmente, mapeamento da superfície (topografia) e medida da espessura corneana (paquimetria).

- Refração inicial para determinação do grau das lentes.

- Colocação de lentes de teste baseadas na refração inicial, por 10 a 20 minutos.

- Nova refração, com as lentes de teste.

Avaliação da adaptação das lentes de teste com o aparelho chamado lâmpada de fenda.

- Modificações na adaptação com base em observações na lâmpada de fenda.

- Concluído o teste de adaptação, a prescrição é encaminhada ao fabricante. Por ocasião do recebimento das lentes, você será treinado(a) para sua colocação e serão fornecidas instruções para manuseio, remoção, cuidados, período de uso e consultas de revisão.

Restrições ao uso

São contra-indicações ao uso de lentes de contato:

- Pterígio.

Blefarites não tratadas e outras doenças das pálpebras.

- Infecções freqüentes nos olhos.

- Alergias severas.

- Olhos secos.

- Ambiente de trabalho poluído.

- Incapacidade manual de realizar cuidados de higiene com as lentes.

Fatores de sucesso na adaptação

O candidato ideal ao uso de lentes é aquele cujo organismo produz a quantidade adequada de lágrimas, não tem infecções crônicas nas pálpebras ou na córnea e não sente dificuldade em manuseá-las.

O uso bem sucedido de lente depende também da escolha de um oftalmologista conhecedor do assunto, da motivação durante o período de adaptação e da observância das instruções para seu uso e manutenção.

Para os que têm maturidade para seguir as instruções, a idade não é um fator importante.

Porém, entre os mais jovens, a mudança de grau é mais freqüente, ocasionando maior necessidade de acompanhamento e atualização das lentes.

Manuseio

Arquivo pessoal

Colocando uma lente gelatinosa: coloque a lente na ponta do dedo indicador da mão direita. Segure a pálpebra inferior com o dedo médio da mão direita e a pálpebra superior com o indicador da outra mão. Olhe para frente e coloque a lente no centro do olho. Pisque para que a lente se posicione adequadamente.

Arquivo pessoal

Retirando uma lente gelatinosa: segure a pálpebra inferior com o dedo médio da mão direita e a pálpebra superior com dedos da outra mão (médio ou indicador). Segure a lente entre o indicador e o polegar da mão direita e retire-a.

Arquivo pessoal

Colocando uma lente dura: coloque a lente na ponta do dedo indicador da mão direita. Segure a pálpebra inferior com o dedo médio da mão direita e a pálpebra superior com o indicador da outra mão. Olhe para frente e coloque a lente no centro do olho.

Arquivo pessoal

Retirando uma lente dura: olhando para frente, tracione o canto externo das pálpebras até que a lente fique presa entre as mesmas. Neste momento olhe para baixo e pisque. A lente cairá do olho.

Limpeza

As lentes devem ser limpas todos os dias, sempre que retiradas dos olhos e guardadas em solução de conservação apropriada.

O sistema de limpeza das lentes de contato varia de acordo com o tipo de lente.

Existem no mercado inúmeros produtos com esta finalidade, porém dispomos de uma lista com sugestões das soluções mais utilizadas.

A utilização correta de produtos ou soluções para limpeza, conservação e desproteinização, constitui-se num dos fatores primordiais para a conservação das lentes e para a saúde ocular.

Lembre-se de trocar o produto de conservação diariamente.

Limpe o estojo das lentes uma vez por semana com sabonete e escovinha.

Recomendações Gerais

Cuidado para não trocar as lentes direita e esquerda ao guardá-las no estojo.

Sempre lave as mãos com sabonete neutro (sem perfume desodorante ou creme) antes de manipular suas lentes, sem enxugá-las.

Nunca umedeça suas lentes com saliva.

Respeite orientação quanto ao número de horas de uso.

Não durma com lentes de contato convencionais.É possível dormir com apenas alguns tipos especiais de lentes descartáveis.

Ao manusear as lentes, o faça com delicadeza. Lembre-se de tampar o ralo da pia.

Mantenha as unhas curtas para não danificá-las durante o manuseio.

Não fique com as lentes mais que os dias recomendados se estas forem descartáveis.

Troque freqüentemente os produtos de manutenção de suas lentes. Não use produtos vencidos.

Evite mergulhar na piscina ou na água do mar com suas lentes, para não perdê-las ou contaminá-las.

Limpe suas lentes sempre ao retirá-las dos olhos, evitando deixar para o dia seguinte. Quanto maior a higiene com as lentes, menos riscos para a saúde ocular.

Não limpe suas lentes com água de torneira.

Pisque corretamente! Atenção nos primeiros dias para que você realize o movimento de piscar completo.

Retorne para avaliação médica com suas lentes, periodicamente.

Planeje a troca das lentes anualmente, com exceção das descartáveis, cuja troca pode ser diária, semanal ou quinzenal, ou mensal.

Cuidado ao aplicar produtos de maquiagem nas pálpebras e cílios para não estragar as lentes. Aplique a maquiagem somente após colocar as lentes. Remova-a antes de retirar as lentes.

Caso apresente desconforto, olho vermelho, baixa visão ou secreção, retire as lentes imediatamente e procure seu médico oftalmologista!

Perguntas e Respostas sobre Lentes de Contato

Por que usar lente de contato?

Lentes de contato são uma opção vantajosa para quem usa óculos. Você se livrará daquele peso sobre o nariz, evitará o aspecto muitas vezes antiestético dos óculos com lentes espessas e que mudam sua fisionomia e o que é mais importante terá uma visão mais próxima da natural e de mais qualidade. É principalmente nos graus maiores que isso se torna realidade. Nestes casos costuma haver aberrações quando da passagem da luz pelos óculos provocando embaçamento visual quando se olha pela periferia da lente. A visão nítida se concentra na área central reduzindo a área de visão útil e diminuindo o campo visual. Além disto, os óculos com graus maiores podem alterar o tamanho da imagem, sendo particularmente problemático, quando existe uma diferença grande de grau entre os olhos.

Quais as pessoas que se beneficiariam com o uso da lente de contato?

Lentes de contato apresentam grande vantagem sobre os óculos para a maioria das pessoas. A acuidade visual é no mínimo igual a dos óculos sendo em geral superior, principalmente nos graus maiores. Imagine usar óculos para jogar futebol, basquete ou vôlei.

Os óculos podem cair ou mesmo quebrar com uma bolada, os riscos são grandes. Com a lente isto não ocorre. Sem falar no benefício do melhor campo visual essencial para o desempenho nos esportes.

Trabalhadores em geral se beneficiam da mesma forma. Para estes, no entanto, é necessário recomendar manter-se afastado de ambientes com pó, poeira, fuligem, etc, que ao entrar sob as lentes de contato podem vir a causar irritação, além do uso dos óculos de proteção sobre as lentes de contato quando estes forem necessários.

Outra indicação é a estética. Nada mais interessante para ir a um aniversário, casamento ou mesmo um baile sem aparentar usar óculos.

Quem não pode usar lente de contato?

Antes de tudo, é necessário consultar um oftalmologista e fazer os exames. Só este saberá se a pessoa poderá usar ou não as lentes de contato. Em várias patologias oculares, como: pterígio, olho seco, infecção ocular crônica, alergia ocular, etc, o uso da lente de contato poderá ser contra-indicado.

Quais os tipos de lentes de contato?

Existem dois tipos básicos: as lentes rígidas ou duras e as lentes gelatinosas. Mais recentemente foi introduzido um tipo que combina um centro rígido com uma periferia gelatinosa, para casos especiais.

Quais são as características das lentes rígidas?

As lentes rígidas estão indicadas para a maioria dos casos, pois corrigem praticamente todos os vícios de refração. No entanto, estas lentes são de mais difícil adaptação por causarem desconforto nos momentos iniciais de uso. Para que você consiga se adaptar com as lentes rígidas é necessário que as use diariamente, até que, com o tempo, o desconforto ceda. As lentes rígidas podem ser acrílicas ou gás-permeáveis. A lente acrílica é muito resistente, se bem cuidada pode durar por muitos anos, os cuidados de manutenção são simples e baratos, porém não permitem o uso continuo por mais de 8h diárias. As lentes gás-permeáveis permitem a passagem do oxigênio e podem ser usadas por períodos mais prolongados, por outro lado o preço e a manutenção encarecem.

Quais são as características das lentes gelatinosas?

As lentes gelatinosas são confortáveis desde o primeiro dia de uso e raramente são percebidas, o que torna sua aceitação excelente. As lentes gelatinosas mais comuns corrigem miopia e hipermetropia de qualquer grau e astigmatismo baixo quando combinado com miopia ou hipermetropia. Estas lentes são de dois tipos: uso diário e uso prolongado.

A lente gelatinosa de uso diário é mais resistente, firme, o que facilita o manuseio. A lente de uso prolongado geralmente é mais fina e mole, o manuseio é mais difícil, em contrapartida permite o uso por mais horas. As lentes tóricas foram desenvolvidas para correção de astigmatismo isolado ou astigmatismos maiores combinados com miopia e hipermetropia.

Há ainda as lentes gelatinosas coloridas que mudam a cor dos olhos. As lentes descartáveis permitem a troca programada, proporcionando continuamente uma lente nova a cada troca e reduzindo os custos de manutenção. Há lentes descartáveis para troca diária, para troca semanal (usadas 7 dias e 6 noites sem retirar para dormir) ou quinzenal (retiradas à noite) e as de troca mensal (descontinuas: retiradas à noite e continuas: usadas por 30 dias sem retirar para dormir). Há ainda lentes de contato gelatinosas bifocais ou multifocais.

Que exames o oftalmologista faz para saber se é possível ou não usar lentes de contato?

O oftalmologista realiza uma série de exames, todos indolores, para certificar-se que não há doença ocular que impeça seu uso:

Biomicroscopia: trata-se da observação do olho através de uma espécie de microscópio. Por meio deste exame, o oftalmologista saberá se falta lágrima no olho, que impeça a lubrificação da lente. Se há alergia ocular, pterígio ou qualquer problema na superfície ocular. Este exame também é útil depois para avaliação da lente de contato nos olhos do paciente. Se houver alguma irritação devido ao uso da lente, sofrimento da córnea ou conjuntiva, mau posicionamento da lente, serão percebidos através da biomicroscopia.

Ceratometria: através deste exame, o oftalmologista mede a curvatura central da córnea de forma a escolher a melhor lente para cada caso.

Outros exames: eventualmente, o oftalmologista lançará mão de outros exames como a topografia corneana e a paquimetria ultrassônica. A topografia corneana faz um mapeamento do “relevo” da superfície corneana. É essencial para a adaptação de lentes de contato em casos de córneas irregulares, como ocorrendo após transplantes de córnea e pós-operatório de cirurgia refrativa. A paquimetria mede a espessura da córnea, fornecendo subsídios para avaliação de uma boa adaptação.

Quais os cuidados obrigatórios?

A lente precisa de cuidados para que não haja problemas para quem usa. A limpeza das lentes com substâncias apropriadas deve ser feita sempre que se retirar as lentes dos olhos. Antes de guardá-las na solução de conservação deve-se retirar a solução de limpeza com o enxágüe utilizando-se soro fisiológico ou outro produto indicado pelo oftalmologista.

As lentes em geral, exceto a lente acrílica, não podem ser guardadas secas. A solução de conservação serve para manter a lente úmida enquanto fora do olho, além de evitar a contaminação. Há várias opções destinadas para cada tipo de lente de contato. Os produtos de desinfecção se destinam a esterilização da lente, que deve ser feita periodicamente. Há ainda os produtos para remoção de proteínas.

Como identificar problemas?

Se ao colocar as lentes sentir algum desconforto, retire-as, limpe-as novamente e torne a colocá-las, pois o desconforto pode ser em função de vestígio do produto de limpeza ou outro produto na lente ou ainda algum corpo estranho (resíduo de cosmético, pêlo de toalha) entre a lente e a córnea ou que as lentes estejam invertidas.

Faz mal dormir com lentes de contato?

Particularmente não recomendo dormir com lentes de contato mesmo as lentes gelatinosas descartáveis de uso semanal ou mensal. Ao dormir cessa o movimento de piscar que é essencial para a oxigenação da córnea. A córnea sem o oxigênio entra em processo de sofrimento que pode levar a sérias conseqüências.

Faz mal nadar com lentes de contato?

Depende. O contato com água de piscina pode levar a contaminação da lente com agentes microbianos que podem levar a infecção dos olhos. A menos que se usem óculos especiais para natação que impeçam totalmente o contato da lente com a água, deve-se evitar nadar com lentes.

Posso lavar as lentes com água da torneira?

Não. A água de torneira está contaminada por inúmeros microorganismos, que, mesmo em pequena quantidade, podem vir a contaminar a lente. Particularmente, a lente gelatinosa está sujeita a contaminação por um protozoário chamado Acantameba que pode causa uma infecção da córnea de difícil tratamento.

Que devo fazer se as lentes causarem irritação nos olhos?

Algum desconforto pode existir ao iniciar o uso de uma nova lente. Este desconforto em geral é leve e cede nos primeiros dias de uso. Caso apresente desconforto maior, olho vermelho, baixa visão ou secreção, retire as lentes imediatamente e procure seu médico oftalmologista.